...

Central de atendimento ao Técnico

0800 016 1515

Generic selectors
Somente resultados exatos
Buscar em títulos
Buscar no conteúdo
Post Type Selectors

CONHEÇA O CRT DA SUA REGIÃO:

Plenário do CFT aprova o novo Plano Nacional de Fiscalização Integrada

Membros da Comissão de Registro e Fiscalização e Equipe de Fiscalização destacam que os avanços do PNFI 2023/2027 consolida o trabalho de aprimoramento construído nos últimos três anos e têm como referência o monitoramento de dados e as melhores práticas de fiscalização reconhecidas no Brasil.

O Plenário do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) aprovou o Plano Nacional de Fiscalização Integrada (PNFI). O texto da Resolução nº 190 foi apreciado no dia 21 de junho, em Brasília, durante a última sessão plenária deliberativa da gestão 2018/2022. A normativa federal especifica as diretrizes para o planejamento e execução da fiscalização do exercício profissional no âmbito do Sistema CFT/CRTs. O PNFI terá validade até 31 de dezembro de 2027.

A proposta do Plano Nacional de Fiscalização Integrada a partir de 1º de janeiro de 2023 – substitui a Resolução Nº 190/2019. O texto foi elaborado com base nas sugestões coletadas em três seminários macrorregionais realizados em Recife (PE), Florianópolis (SC) e Vitória (ES). O trabalho proposto pela Diretoria de Fiscalização e Normas do CFT, foi coordenado pela Comissão de Registro e Fiscalização com assessoria da Equipe de Fiscalização da autarquia federal e contou com a participação das equipes de fiscalização de todos os regionais que abrangem as 27 unidades da federação.

Avanços

O PNFI 2023/2027 foi estruturado com finalidade de propiciar o aprimoramento da fiscalização no âmbito do Sistema CFT/CRTs, conforme estabelece Lei nº 13.639/2018. Entre os pontos de destaque estão busca da conformidade nas ações de fiscalização, a capacitação permanente das equipes de fiscalização dos regionais, regras de planejamento e controle nas ações de coleta e tratamento de dados, a transformação digital permanente, além da instituição de metas de ação, de evoluções para o manual de fiscalização e procedimentos operacionais padrão e a celebração de acordos de cooperação para eficiência da fiscalização.

Para os integrantes da Comissão de Registro e Fiscalização e da Equipe de Fiscalização do CFT, o PNFI 2023/2027 consolida o trabalho de aprimoramento construído nos últimos três anos desde a instalação dos conselhos regionais.

Para elaboração deste plano buscamos a identificação das melhores práticas de fiscalização reconhecidas como de qualidade e eficientes como as do Ministério da Agricultura e Produção Agrária (Mapa), da Receita Federal do Brasil e outras autarquias federais. Também para subsidiar o texto aprovado pelo Plenário, a equipe de fiscalização do CFT realizou o monitoramento dos resultados obtidos no primeiro PNFI, e após análise, incluiu novos conteúdos e procedimentos na busca da conformidade e da transformação digital”, afirmam os organizadores.

Na lista abaixo, veja as metas de atuação das equipes de fiscalização para o período de 2023 a 2027:

  • Manter informado o planejamento estratégico do Sistema CFT/CRTs das atividades finalísticas de fiscalização, de modo a permitir a utilização dos seguintes percentuais mínimos do orçamento: 36% para 2023, 40% para 2024, 43% para 2025, 47% para 2026 e 50% no exercício de 2027.
  • Executar ações de fiscalização educativa, preventiva, corretiva e punitiva, visando, prioritariamente, orientar a atuação dos profissionais e pessoas jurídicas públicas e privadas nas atividades objeto da fiscalização do Sistema CFT/CRTs.
  • Manter atualizado cadastro no SINCETI das instituições de ensino públicas e privadas regulares perante o SISTEC/MEC, as secretarias municipais e estaduais de educação, o sistema dos Institutos Federais de Ensino e o Senai.
  • Efetuar ações informativas nos cursos de formação do Técnico Industrial para orientar os futuros profissionais quanto a fiscalização do exercício profissional.
  • Informar sobre a função da fiscalização dos CRTs, por meio de participação em eventos, feiras e cursos.
  • Efetuar fiscalização orientativa em redes sociais, verificando a regularidade de situações que tratem de atividades de técnicos industriais e empresas sujeitas a registro no conselho.
  • Acompanhar licitações e contratos no Diário Oficial da União, Estados e Municípios quanto a necessidade de participação de técnico industrial.
  • Direcionar as ações de fiscalização utilizando os mapas de calor do SINCETI pela geolocalização dos TRTs, de denúncias, de empresas e profissionais e de escolas técnicas.
  • Conveniar com órgãos públicos nas suas diversas esferas para ter acesso aos dados das empresas e técnicos industriais.
  • Capacitar de modo planejado e permanente as equipes de fiscalização e as comissões de registro e fiscalização do Sistema CFT/CRTs.
  • Efetuar o cruzamento de dados do SINCETI com dados de órgãos públicos para verificar a ocorrência de atividade do profissional em áreas sujeitas ao trabalho das equipes de fiscalização.
  • Realizar acordos de cooperação com instituições de ensino, para orientar os estudantes para o aceite do compartilhamento de dados pessoais que irá ocorrer com o conselho profissional, em conformidade com Lei Geral de Proteção de Dados.
  • Promover ações de fiscalização exclusivas ou conjuntas com outros órgãos públicos.
  • Estruturar e ampliar as equipes de fiscalização prevendo a descentralização das atividades de fiscalização.
  • Implantar e atualizar a limitação das atividades técnicas que são cadastradas no TRT conforme a respectiva modalidade profissional a fim de coibir casos de exorbitância.
  • Disponibilizar para o profissional, no ambiente profissional o detalhamento de cada código das atividades técnicas que podem ser cadastradas no TRT.
  • Elaborar procedimento padrão nacional para lidar com casos de falsificação de documentos relacionados ao Sistema CFT/CRTs como CAT, TRT, certidão, carteira e atribuições.
  • Definir as diretrizes de fiscalização para o tratamento de pessoas físicas sem a formação necessária exercendo atividade técnica industrial.
  • Elaborar procedimentos operacionais padrão para atividades comuns aos CRTs.
  • Realizar operações de fiscalização como ações de marketing em congressos e feiras, ações de fiscalização em condomínios residenciais e ações de fiscalização utilizando bases móveis.
  • Implantar os princípios da Norma ISO 9001 – Sistemas de Gestão da Qualidade para promover a melhoria contínua das ações de fiscalização do Sistema CFT/CRTs previstos no PNFI.

Últimas notícias

Prazo para justificativa eleitoral encerra no domingo

Procedimento pode ser feito online pelo SINCETI, sem necessidade de apresentar motivação, para manter a regularidade do registro profissional. Obrigatoriedade do voto é determinada pela…
Ler mais...

Presidente do CFT realiza abertura da capacitação para diretores, conselheiros e colaboradores do CRT-RN

O Presidente do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT), Solomar Rockembach, realizou hoje (6) a abertura da capacitação para diretores, conselheiros e colaboradores do Conselho…
Ler mais...

TRT-Solidário beneficia municípios do Espírito Santo

Normativa do Conselho Federal dos Técnicos Industriais isenta profissionais habilitados que prestam serviço voluntário nas localidades atingidas por enchentes
Ler mais...

Plenário do CFT aprova o novo Plano Nacional de Fiscalização Integrada

Membros da Comissão de Registro e Fiscalização e Equipe de Fiscalização destacam que os avanços do PNFI 2023/2027 consolida o trabalho de aprimoramento construído nos últimos três anos e têm como referência o monitoramento de dados e as melhores práticas de fiscalização reconhecidas no Brasil.

O Plenário do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) aprovou o Plano Nacional de Fiscalização Integrada (PNFI). O texto da Resolução nº 190 foi apreciado no dia 21 de junho, em Brasília, durante a última sessão plenária deliberativa da gestão 2018/2022. A normativa federal especifica as diretrizes para o planejamento e execução da fiscalização do exercício profissional no âmbito do Sistema CFT/CRTs. O PNFI terá validade até 31 de dezembro de 2027.

A proposta do Plano Nacional de Fiscalização Integrada a partir de 1º de janeiro de 2023 – substitui a Resolução Nº 190/2019. O texto foi elaborado com base nas sugestões coletadas em três seminários macrorregionais realizados em Recife (PE), Florianópolis (SC) e Vitória (ES). O trabalho proposto pela Diretoria de Fiscalização e Normas do CFT, foi coordenado pela Comissão de Registro e Fiscalização com assessoria da Equipe de Fiscalização da autarquia federal e contou com a participação das equipes de fiscalização de todos os regionais que abrangem as 27 unidades da federação.

Avanços

O PNFI 2023/2027 foi estruturado com finalidade de propiciar o aprimoramento da fiscalização no âmbito do Sistema CFT/CRTs, conforme estabelece Lei nº 13.639/2018. Entre os pontos de destaque estão busca da conformidade nas ações de fiscalização, a capacitação permanente das equipes de fiscalização dos regionais, regras de planejamento e controle nas ações de coleta e tratamento de dados, a transformação digital permanente, além da instituição de metas de ação, de evoluções para o manual de fiscalização e procedimentos operacionais padrão e a celebração de acordos de cooperação para eficiência da fiscalização.

Para os integrantes da Comissão de Registro e Fiscalização e da Equipe de Fiscalização do CFT, o PNFI 2023/2027 consolida o trabalho de aprimoramento construído nos últimos três anos desde a instalação dos conselhos regionais.

Para elaboração deste plano buscamos a identificação das melhores práticas de fiscalização reconhecidas como de qualidade e eficientes como as do Ministério da Agricultura e Produção Agrária (Mapa), da Receita Federal do Brasil e outras autarquias federais. Também para subsidiar o texto aprovado pelo Plenário, a equipe de fiscalização do CFT realizou o monitoramento dos resultados obtidos no primeiro PNFI, e após análise, incluiu novos conteúdos e procedimentos na busca da conformidade e da transformação digital”, afirmam os organizadores.

Na lista abaixo, veja as metas de atuação das equipes de fiscalização para o período de 2023 a 2027:

  • Manter informado o planejamento estratégico do Sistema CFT/CRTs das atividades finalísticas de fiscalização, de modo a permitir a utilização dos seguintes percentuais mínimos do orçamento: 36% para 2023, 40% para 2024, 43% para 2025, 47% para 2026 e 50% no exercício de 2027.
  • Executar ações de fiscalização educativa, preventiva, corretiva e punitiva, visando, prioritariamente, orientar a atuação dos profissionais e pessoas jurídicas públicas e privadas nas atividades objeto da fiscalização do Sistema CFT/CRTs.
  • Manter atualizado cadastro no SINCETI das instituições de ensino públicas e privadas regulares perante o SISTEC/MEC, as secretarias municipais e estaduais de educação, o sistema dos Institutos Federais de Ensino e o Senai.
  • Efetuar ações informativas nos cursos de formação do Técnico Industrial para orientar os futuros profissionais quanto a fiscalização do exercício profissional.
  • Informar sobre a função da fiscalização dos CRTs, por meio de participação em eventos, feiras e cursos.
  • Efetuar fiscalização orientativa em redes sociais, verificando a regularidade de situações que tratem de atividades de técnicos industriais e empresas sujeitas a registro no conselho.
  • Acompanhar licitações e contratos no Diário Oficial da União, Estados e Municípios quanto a necessidade de participação de técnico industrial.
  • Direcionar as ações de fiscalização utilizando os mapas de calor do SINCETI pela geolocalização dos TRTs, de denúncias, de empresas e profissionais e de escolas técnicas.
  • Conveniar com órgãos públicos nas suas diversas esferas para ter acesso aos dados das empresas e técnicos industriais.
  • Capacitar de modo planejado e permanente as equipes de fiscalização e as comissões de registro e fiscalização do Sistema CFT/CRTs.
  • Efetuar o cruzamento de dados do SINCETI com dados de órgãos públicos para verificar a ocorrência de atividade do profissional em áreas sujeitas ao trabalho das equipes de fiscalização.
  • Realizar acordos de cooperação com instituições de ensino, para orientar os estudantes para o aceite do compartilhamento de dados pessoais que irá ocorrer com o conselho profissional, em conformidade com Lei Geral de Proteção de Dados.
  • Promover ações de fiscalização exclusivas ou conjuntas com outros órgãos públicos.
  • Estruturar e ampliar as equipes de fiscalização prevendo a descentralização das atividades de fiscalização.
  • Implantar e atualizar a limitação das atividades técnicas que são cadastradas no TRT conforme a respectiva modalidade profissional a fim de coibir casos de exorbitância.
  • Disponibilizar para o profissional, no ambiente profissional o detalhamento de cada código das atividades técnicas que podem ser cadastradas no TRT.
  • Elaborar procedimento padrão nacional para lidar com casos de falsificação de documentos relacionados ao Sistema CFT/CRTs como CAT, TRT, certidão, carteira e atribuições.
  • Definir as diretrizes de fiscalização para o tratamento de pessoas físicas sem a formação necessária exercendo atividade técnica industrial.
  • Elaborar procedimentos operacionais padrão para atividades comuns aos CRTs.
  • Realizar operações de fiscalização como ações de marketing em congressos e feiras, ações de fiscalização em condomínios residenciais e ações de fiscalização utilizando bases móveis.
  • Implantar os princípios da Norma ISO 9001 – Sistemas de Gestão da Qualidade para promover a melhoria contínua das ações de fiscalização do Sistema CFT/CRTs previstos no PNFI.