Central de atendimento ao Técnico

0800 016 1515

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

CONHEÇA O CRT DA SUA REGIÃO:

I SEMINÁRIO DOS TÉCNICOS EM EDIFICAÇÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO

  • 25 de março de 2019

CRT-SP e CFT realizaram seminário para conhecer sugestões dos técnicos e elucidar as principais dúvidas sobre as atribuições profissionais dos Técnicos em Edificações

Promovido pelo Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado de São Paulo (CRT-SP) e pelo CFT, o I Seminário dos Técnicos em Edificações do Estado de São Paulo, realizado em 16 de março, teve como objetivo central debater novas diretrizes para as atribuições dos Técnicos em Edificações.

O seminário atendeu às expectativas dos organizadores e, principalmente, do público – composto por um número grande de participantes que viajaram centenas de quilômetros para estar no evento.

O Presidente do CFT Wilson Wanderlei Vieira apresentou um breve resgate histórico do movimento dos técnicos pontuando as principais conquistas empreendidas, como a fundação de associações; a regulamentação da profissão assegurada pela Lei nº 5.524/1968 e Decreto nº 90.922/1985; e a sanção presidencial da Lei nº 13.639 em 26 de março de 2018, criando o conselho próprio dos técnicos – concretizando um sonho vislumbrado há mais de 40 anos.

Foi salientado ainda que um dos compromissos do CFT é discutir nas comissões as atribuições dos técnicos. “Nós sabemos que algumas modalidades necessitam urgentemente de regulamentações, como edificações, eletrotécnica – objeto da Resolução CFT nº 39, publicada em 26 de outubro de 2018 –, agrimensura e mecânica; e não faremos uma vírgula a menos do que o antigo sistema fazia; afinal, se chegamos até aqui é para melhorar o atendimento aos técnicos”, conclui o Presidente.

Já o diretor de Fiscalização e Normas do CFT, Bernardino José Gomes, listou as dificuldades enfrentadas no início e ressaltou a responsabilidade do conselho perante a sociedade e os técnicos. “Nossa função é fiscalizar a profissão. Para tornar-se um profissional habilitado, o técnico precisa ter formação e estar devidamente registrado. Não podemos cercear nossos profissionais do exercício da profissão, mas queremos saber o limite que a legislação nos permite chegar e o que fazer para alcançar maiores atribuições”, acrescentou.

Em meio às exposições dos demais componentes da mesa, José Avelino Rosa, representando o presidente Gilberto Takao Sakamoto, destacou a importância das eleições dos conselheiros regionais marcadas para o dia 3 de abril, bem como os primeiros passos administrativos trilhados pelo conselho regional. “Nós, da diretoria, estamos trabalhando muito para que o CRT-SP cresça dentro de uma legalidade e respeito perante a sociedade e os técnicos, que podem sempre contar conosco”, elucidou o vice-presidente.

Conselheiro federal eleito por São Paulo e integrante da Comissão de Educação e Exercício Profissional do CFT, Valdivino Alves de Carvalho diz que pretende contar com a experiência adquirida na Eletropaulo Eletricidade de São Paulo S.A. no desenvolvimento de seu trabalho. “Para que ninguém venha nos contestar, temos que elaborar resoluções sem ferir a legislação”, defende. Por fim o diretor de Fiscalização e Normas do CRT-SP, Rubens dos Santos, homenageou postumamente alguns técnicos que participaram da criação do conselho, como professor Alceu Rosolino, Marcos Antonio Borges e Benedito Carlos de Souza. “Perdemos importantes companheiros, mas não podemos parar com o nosso trabalho de defender a sociedade e valorizar os técnicos de todas as modalidades”, finaliza o também presidente do CONTAE – Conselho Nacional das Associações de Técnicos Industriais.

Antes de ouvir as sugestões dos Técnicos em Edificações presentes, o advogado Antenor Alves de Sousa apresentou uma explanação jurídica sobre a administração pública e o princípio da legalidade expresso no artigo 37 da Constituição Federal. “Em se tratando do sistema de fiscalização, no ordenamento jurídico temos a Constituição Federal, as leis e os decretos. A função do Sistema CFT/CRT é fazer uma complementação dessas normas, que chamamos de resoluções e que informarão aos profissionais os limites de suas atribuições e de suas prerrogativas”, expôs o procurador do CFT.

Últimas notícias

CFT publica novas resoluções

As novas resoluções normatizam Atribuições dos Técnicos em Telecomunicações, Carteira Profissional Definitiva, Valores de Taxas para 2020, Laudos Técnicos de Arqueação de Granéis, Registro de…
Ler mais...

CFT participa de audiência pública em Brasília sobre a PEC 108/19

Deputados e Lideranças de Conselhos Profissionais reuniram-se para debater os efeitos da Proposta de Emenda à Constituição para os Conselhos e para a sociedade. O…
Ler mais...

IFB divulga edital para processo seletivo gratuito com 2 mil vagas em cursos técnicos

O Instituto Federal de Brasília ofertará 41 cursos em modalidades como Ensino Médio Integrado, Subsequente e Educação de Jovens e Adultos. Nesta segunda (28/10), o…
Ler mais...

I SEMINÁRIO DOS TÉCNICOS EM EDIFICAÇÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO

  • 25 de março de 2019

CRT-SP e CFT realizaram seminário para conhecer sugestões dos técnicos e elucidar as principais dúvidas sobre as atribuições profissionais dos Técnicos em Edificações

Promovido pelo Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado de São Paulo (CRT-SP) e pelo CFT, o I Seminário dos Técnicos em Edificações do Estado de São Paulo, realizado em 16 de março, teve como objetivo central debater novas diretrizes para as atribuições dos Técnicos em Edificações.

O seminário atendeu às expectativas dos organizadores e, principalmente, do público – composto por um número grande de participantes que viajaram centenas de quilômetros para estar no evento.

O Presidente do CFT Wilson Wanderlei Vieira apresentou um breve resgate histórico do movimento dos técnicos pontuando as principais conquistas empreendidas, como a fundação de associações; a regulamentação da profissão assegurada pela Lei nº 5.524/1968 e Decreto nº 90.922/1985; e a sanção presidencial da Lei nº 13.639 em 26 de março de 2018, criando o conselho próprio dos técnicos – concretizando um sonho vislumbrado há mais de 40 anos.

Foi salientado ainda que um dos compromissos do CFT é discutir nas comissões as atribuições dos técnicos. “Nós sabemos que algumas modalidades necessitam urgentemente de regulamentações, como edificações, eletrotécnica – objeto da Resolução CFT nº 39, publicada em 26 de outubro de 2018 –, agrimensura e mecânica; e não faremos uma vírgula a menos do que o antigo sistema fazia; afinal, se chegamos até aqui é para melhorar o atendimento aos técnicos”, conclui o Presidente.

Já o diretor de Fiscalização e Normas do CFT, Bernardino José Gomes, listou as dificuldades enfrentadas no início e ressaltou a responsabilidade do conselho perante a sociedade e os técnicos. “Nossa função é fiscalizar a profissão. Para tornar-se um profissional habilitado, o técnico precisa ter formação e estar devidamente registrado. Não podemos cercear nossos profissionais do exercício da profissão, mas queremos saber o limite que a legislação nos permite chegar e o que fazer para alcançar maiores atribuições”, acrescentou.

Em meio às exposições dos demais componentes da mesa, José Avelino Rosa, representando o presidente Gilberto Takao Sakamoto, destacou a importância das eleições dos conselheiros regionais marcadas para o dia 3 de abril, bem como os primeiros passos administrativos trilhados pelo conselho regional. “Nós, da diretoria, estamos trabalhando muito para que o CRT-SP cresça dentro de uma legalidade e respeito perante a sociedade e os técnicos, que podem sempre contar conosco”, elucidou o vice-presidente.

Conselheiro federal eleito por São Paulo e integrante da Comissão de Educação e Exercício Profissional do CFT, Valdivino Alves de Carvalho diz que pretende contar com a experiência adquirida na Eletropaulo Eletricidade de São Paulo S.A. no desenvolvimento de seu trabalho. “Para que ninguém venha nos contestar, temos que elaborar resoluções sem ferir a legislação”, defende. Por fim o diretor de Fiscalização e Normas do CRT-SP, Rubens dos Santos, homenageou postumamente alguns técnicos que participaram da criação do conselho, como professor Alceu Rosolino, Marcos Antonio Borges e Benedito Carlos de Souza. “Perdemos importantes companheiros, mas não podemos parar com o nosso trabalho de defender a sociedade e valorizar os técnicos de todas as modalidades”, finaliza o também presidente do CONTAE – Conselho Nacional das Associações de Técnicos Industriais.

Antes de ouvir as sugestões dos Técnicos em Edificações presentes, o advogado Antenor Alves de Sousa apresentou uma explanação jurídica sobre a administração pública e o princípio da legalidade expresso no artigo 37 da Constituição Federal. “Em se tratando do sistema de fiscalização, no ordenamento jurídico temos a Constituição Federal, as leis e os decretos. A função do Sistema CFT/CRT é fazer uma complementação dessas normas, que chamamos de resoluções e que informarão aos profissionais os limites de suas atribuições e de suas prerrogativas”, expôs o procurador do CFT.