Central de atendimento ao Técnico

0800 016 1515

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

CONHEÇA O CRT DA SUA REGIÃO:

Hora de escolher a profissão

  • 2 de agosto de 2018

Pesquisa aponta que há vagas para técnicos no mercado de trabalho, mas faltam profissionais qualificados

No primeiro semestre de 2018 a FDC – Fundação Dom Cabral divulgou uma pesquisa apontando que 49% das organizações brasileiras têm vagas de emprego, mas não encontram profissionais devidamente qualificados; nesse cenário, os cursos técnicos seguem como o caminho mais curto entre o trabalhador e o mercado de trabalho. Para Carlos Gomes o ensino técnico é o principal degrau da educação para quem busca ingresso ou aperfeiçoamento profissional e até mesmo pessoal. “A educação profissional se fortalecerá com a reforma do ensino médio, e o estudante poderá optar entre cinco cursos; um deles é o ensino técnico”, garante o diretor do Grau Técnico de Maceió (AL), centro de ensino técnico de excelência presente em todas as regiões brasileiras, especialmente no Nordeste. Ao mencionar a reforma do ensino médio o professor se refere à BNCC – Base Nacional Comum Curricular, documento de caráter normativo submetido pelo MEC – Ministério da Educação à análise do CNE – Conselho Nacional de Educação, possibilitando aos alunos buscarem conhecimento nas áreas que mais interessam para seus projetos de vida; entre essas áreas, eles terão a liberdade de optar por uma formação técnica.

Criada em 1976 como extensão universitária da PUC-MG – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, a FDC é considerada uma das melhores escolas de negócios da América Latina, capacitando executivos, gestores públicos, empresários e organizações de diversos segmentos.

Fonte: SINTEC-SP em Revista

Últimas notícias

Em prol do isolamento social, CFT empreende novas dinâmicas de trabalho

CFT apresenta panorama dos últimos 60 dias de trabalho e elenca ajustes empreendidos em prol da segurança no período de isolamento social Diante do quadro…
Ler mais...

CFT apresenta seu Sistema Gerenciador de Demandas

Novo sistema criado pelo CFT, que visa dinamizar atendimento e comunicação entre o Conselho e CRTs, já está em funcionamento nos 11 Conselhos Regionais Em…
Ler mais...

CFT realiza Sessão Plenária virtual

Como medida de combate ao novo coronavírus, o CFT promove Sessão Plenária nº 012 por videoconferência, onde Diretoria Executiva e Conselheiros Federais votaram resoluções virtualmente…
Ler mais...

Hora de escolher a profissão

  • 2 de agosto de 2018

Pesquisa aponta que há vagas para técnicos no mercado de trabalho, mas faltam profissionais qualificados

No primeiro semestre de 2018 a FDC – Fundação Dom Cabral divulgou uma pesquisa apontando que 49% das organizações brasileiras têm vagas de emprego, mas não encontram profissionais devidamente qualificados; nesse cenário, os cursos técnicos seguem como o caminho mais curto entre o trabalhador e o mercado de trabalho. Para Carlos Gomes o ensino técnico é o principal degrau da educação para quem busca ingresso ou aperfeiçoamento profissional e até mesmo pessoal. “A educação profissional se fortalecerá com a reforma do ensino médio, e o estudante poderá optar entre cinco cursos; um deles é o ensino técnico”, garante o diretor do Grau Técnico de Maceió (AL), centro de ensino técnico de excelência presente em todas as regiões brasileiras, especialmente no Nordeste. Ao mencionar a reforma do ensino médio o professor se refere à BNCC – Base Nacional Comum Curricular, documento de caráter normativo submetido pelo MEC – Ministério da Educação à análise do CNE – Conselho Nacional de Educação, possibilitando aos alunos buscarem conhecimento nas áreas que mais interessam para seus projetos de vida; entre essas áreas, eles terão a liberdade de optar por uma formação técnica.

Criada em 1976 como extensão universitária da PUC-MG – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, a FDC é considerada uma das melhores escolas de negócios da América Latina, capacitando executivos, gestores públicos, empresários e organizações de diversos segmentos.

Fonte: SINTEC-SP em Revista