...

Central de atendimento ao Técnico

0800 016 1515

Generic selectors
Somente resultados exatos
Buscar em títulos
Buscar no conteúdo
Post Type Selectors
Buscar em posts
Buscar em páginas

CONHEÇA O CRT DA SUA REGIÃO:

Conselho Federal requer a inclusão de técnicos industriais em projetos de aerolevantamento autorizados pelo Ministério da Defesa

Diretoria executiva apresentou pedido em recente audiência realizada com o gerente da Seção de Geoinformação, Metereologia e Aerolevantamento (Segma)

O Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) requer que o Ministério da Defesa Nacional  reconheça as atribuições técnicas do profissionais habilitados em serviços ligados às áreas de agrimensura, geodésia, cartografia e geoprocessamento. O pedido foi apresentado pela diretoria executiva da autarquia federal, em recente audiência com o gerente da Seção de Geoinformação, Metereologia e Aerolevantamento (Segma), Capitão de Mar-Guerra Mario Orlando de Carvalho Junior.

Competência

No encontro o presidente Wilson Wanderlei Vieira, o vice-presidente José Carlos Coutinho e dos diretores Francisco Viana Balbino (Administrativo), Bernardino Gomes (Fiscalização e Normas) e Solomar Pereira Rockembach (Financeiro), ressaltaram a competência do CFT – e dos conselhos regionais – no sentido de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício profissional dos técnicos industriais. Os diretores destacaram que o artigo terceiro da Resolução nº89, do próprio Conselho Federal,  disciplina e orienta as prerrogativas dos profissionais da área do georreferenciamento

Os membros da diretoria ressaltaram ainda que o CFT assumiu a função reguladora e fiscalizadora da profissão dos técnicos industriais, após ser sancionada a Lei Federal nº 13.639/2018. Ponderaram que as prerrogativas do Conselho Federal e também dos regionais (CRT’s), bem como suas respectivas resoluções, estão amparadas pela legislação vigente e garantias constitucionais, sendo o CFT, órgão responsável pela emissão dos Termos de Responsabilidade Técnica (TRTs) dos profissionais das áreas de agrimensura, geodésia, cartografia e geoprocessamento.

Encaminhamento

O Capitão de Mar-Guerra recebeu a demanda e promoveu encaminhamentos. Inicialmente, Mario Orlando de Carvalho Junior expôs que uma ação civil pública movida pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), expõe conflito de posicionamentos sobre o tema, mas que decisão anterior da sua seção, baseado em artigo 31 da lei nº 13.639/2018, poderá ser revista mediante parecer técnico. Para tanto, solicitou a emissão de novo protocolo de requerimento, com fundamentação jurídica dos argumentos apresentados presencialmente pela diretoria.

Foto: Antonio Grzybowski

Últimas notícias

CFT presente na Marcha em Defesa dos Municípios

Estande do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) na 25ª edição do evento organizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) amplia aproximação com chefes do…
Ler mais...

Presidente do CFT destaca importância da Itaipu Binacional

Companhia pública, líder mundial em geração de energia, fundada em 17 de maio de 1974, completa 50 anos de história.  
Ler mais...

Gestão de pessoas pauta encerramento do Encontro de Diretorias Administrativas

Boas práticas e processos de recursos humanos são o principal assunto da manhã do segundo dia da reunião, realizada na sede do Conselho Federal dos…
Ler mais...

Conselho Federal requer a inclusão de técnicos industriais em projetos de aerolevantamento autorizados pelo Ministério da Defesa

Diretoria executiva apresentou pedido em recente audiência realizada com o gerente da Seção de Geoinformação, Metereologia e Aerolevantamento (Segma)

O Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) requer que o Ministério da Defesa Nacional  reconheça as atribuições técnicas do profissionais habilitados em serviços ligados às áreas de agrimensura, geodésia, cartografia e geoprocessamento. O pedido foi apresentado pela diretoria executiva da autarquia federal, em recente audiência com o gerente da Seção de Geoinformação, Metereologia e Aerolevantamento (Segma), Capitão de Mar-Guerra Mario Orlando de Carvalho Junior.

Competência

No encontro o presidente Wilson Wanderlei Vieira, o vice-presidente José Carlos Coutinho e dos diretores Francisco Viana Balbino (Administrativo), Bernardino Gomes (Fiscalização e Normas) e Solomar Pereira Rockembach (Financeiro), ressaltaram a competência do CFT – e dos conselhos regionais – no sentido de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício profissional dos técnicos industriais. Os diretores destacaram que o artigo terceiro da Resolução nº89, do próprio Conselho Federal,  disciplina e orienta as prerrogativas dos profissionais da área do georreferenciamento

Os membros da diretoria ressaltaram ainda que o CFT assumiu a função reguladora e fiscalizadora da profissão dos técnicos industriais, após ser sancionada a Lei Federal nº 13.639/2018. Ponderaram que as prerrogativas do Conselho Federal e também dos regionais (CRT’s), bem como suas respectivas resoluções, estão amparadas pela legislação vigente e garantias constitucionais, sendo o CFT, órgão responsável pela emissão dos Termos de Responsabilidade Técnica (TRTs) dos profissionais das áreas de agrimensura, geodésia, cartografia e geoprocessamento.

Encaminhamento

O Capitão de Mar-Guerra recebeu a demanda e promoveu encaminhamentos. Inicialmente, Mario Orlando de Carvalho Junior expôs que uma ação civil pública movida pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), expõe conflito de posicionamentos sobre o tema, mas que decisão anterior da sua seção, baseado em artigo 31 da lei nº 13.639/2018, poderá ser revista mediante parecer técnico. Para tanto, solicitou a emissão de novo protocolo de requerimento, com fundamentação jurídica dos argumentos apresentados presencialmente pela diretoria.

Foto: Antonio Grzybowski