Central de atendimento ao Técnico

0800 016 1515

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

CONHEÇA O CRT DA SUA REGIÃO:

CFT realiza Sessão Plenária seguida de visita à Usina de Itaipu

  • 9 de dezembro de 2019

Diretoria, Conselheiros e Representantes do sistema CFT/CRTs debatem pautas para 2020 durante semana de eventos em Foz do Iguaçu

O CFT promoveu entre os dias 3 e 6/12, programação em Foz do Iguaçu com Sessão Plenária, Fórum de Presidentes dos Conselhos Regionais e visita de seus representantes à Usina de Itaipu.

Na referida Sessão Plenária, Diretoria Executiva e Conselheiros federais reuniram-se para debater e votar pautas concernentes à aprovação de novas resoluções. Dentre as resoluções a serem publicadas estão a Resolução que disciplina as atribuições dos Técnicos em Agrimensura e a Resolução de atribuições dos Técnicos em Design.

Já o Fórum de Presidentes dispôs de pautas como aprimoramento do Sistema de Fiscalização, o Plano Nacional de Fiscalização e Carteira Definitiva dos Técnicos. Leia mais sobre o Fórum aqui.

No dia 6/12, o Presidente do CFT, o técnico em Edificações Wilson Wanderlei Vieira, assim como alguns representantes do Conselho Federal de Técnicos Industriais e do Conselho Regional dos Técnicos Industriais da 4ª Região (Paraná e Santa Catarina) estiveram na Usina de Itaipu em Foz do Iguaçu.

Os objetivos centrais da visita eram expor aos representantes do CFT e CRT-04 um panorama da produção energética nacional e das atividades práticas desempenhadas pelos técnicos no local, além de conhecimento da infraestrutura da Usina – que detém o título de maior produtora de energia elétrica do mundo, ultrapassando até mesmo a Usina Três Gargantas, na China.

Itaipu é uma Usina Binacional, uma vez que foi construída a partir da Ata do Iguaçu, documento assinado em 1966, por ministros brasileiros e paraguaios, onde Brasil e Paraguai firmaram o compromisso de estudar o aproveitamento de recursos hidráulicos presentes entre os dois países, o que até então era motivo de disputa.

Os números da obra impressionam. Para a construção da barragem, foram despejados 12,3 milhões de metros cúbicos de concreto. Em um único dia foram lançados 7.207 metros cúbicos de concreto. Isso equivale a 10 andares a cada hora. Mais de vinte mil caminhões e quase sete mil vagões foram utilizados no transporte de materiais para a Itaipu. No ápice da construção da barragem, cerca de 40 mil profissionais trabalhavam no canteiro de obras ou nos escritórios do Brasil ou do Paraguai.

Segundo o Presidente do CFT Wilson Wanderlei Vieira, a visita denota o interesse do Conselho pelas inovações no campo de energia, assim como a novas tecnologias, para que tanto o ensino técnico quanto as atribuições dos técnicos industriais estejam congruentes com as tendências de mercado, de modo que o Brasil se faça cada vez mais relevante no campo tecnológico global.

Últimas notícias

Em prol do isolamento social, CFT empreende novas dinâmicas de trabalho

CFT apresenta panorama dos últimos 60 dias de trabalho e elenca ajustes empreendidos em prol da segurança no período de isolamento social Diante do quadro…
Ler mais...

CFT apresenta seu Sistema Gerenciador de Demandas

Novo sistema criado pelo CFT, que visa dinamizar atendimento e comunicação entre o Conselho e CRTs, já está em funcionamento nos 11 Conselhos Regionais Em…
Ler mais...

CFT realiza Sessão Plenária virtual

Como medida de combate ao novo coronavírus, o CFT promove Sessão Plenária nº 012 por videoconferência, onde Diretoria Executiva e Conselheiros Federais votaram resoluções virtualmente…
Ler mais...

CFT realiza Sessão Plenária seguida de visita à Usina de Itaipu

  • 9 de dezembro de 2019

Diretoria, Conselheiros e Representantes do sistema CFT/CRTs debatem pautas para 2020 durante semana de eventos em Foz do Iguaçu

O CFT promoveu entre os dias 3 e 6/12, programação em Foz do Iguaçu com Sessão Plenária, Fórum de Presidentes dos Conselhos Regionais e visita de seus representantes à Usina de Itaipu.

Na referida Sessão Plenária, Diretoria Executiva e Conselheiros federais reuniram-se para debater e votar pautas concernentes à aprovação de novas resoluções. Dentre as resoluções a serem publicadas estão a Resolução que disciplina as atribuições dos Técnicos em Agrimensura e a Resolução de atribuições dos Técnicos em Design.

Já o Fórum de Presidentes dispôs de pautas como aprimoramento do Sistema de Fiscalização, o Plano Nacional de Fiscalização e Carteira Definitiva dos Técnicos. Leia mais sobre o Fórum aqui.

No dia 6/12, o Presidente do CFT, o técnico em Edificações Wilson Wanderlei Vieira, assim como alguns representantes do Conselho Federal de Técnicos Industriais e do Conselho Regional dos Técnicos Industriais da 4ª Região (Paraná e Santa Catarina) estiveram na Usina de Itaipu em Foz do Iguaçu.

Os objetivos centrais da visita eram expor aos representantes do CFT e CRT-04 um panorama da produção energética nacional e das atividades práticas desempenhadas pelos técnicos no local, além de conhecimento da infraestrutura da Usina – que detém o título de maior produtora de energia elétrica do mundo, ultrapassando até mesmo a Usina Três Gargantas, na China.

Itaipu é uma Usina Binacional, uma vez que foi construída a partir da Ata do Iguaçu, documento assinado em 1966, por ministros brasileiros e paraguaios, onde Brasil e Paraguai firmaram o compromisso de estudar o aproveitamento de recursos hidráulicos presentes entre os dois países, o que até então era motivo de disputa.

Os números da obra impressionam. Para a construção da barragem, foram despejados 12,3 milhões de metros cúbicos de concreto. Em um único dia foram lançados 7.207 metros cúbicos de concreto. Isso equivale a 10 andares a cada hora. Mais de vinte mil caminhões e quase sete mil vagões foram utilizados no transporte de materiais para a Itaipu. No ápice da construção da barragem, cerca de 40 mil profissionais trabalhavam no canteiro de obras ou nos escritórios do Brasil ou do Paraguai.

Segundo o Presidente do CFT Wilson Wanderlei Vieira, a visita denota o interesse do Conselho pelas inovações no campo de energia, assim como a novas tecnologias, para que tanto o ensino técnico quanto as atribuições dos técnicos industriais estejam congruentes com as tendências de mercado, de modo que o Brasil se faça cada vez mais relevante no campo tecnológico global.