Brasil vive aumento de acidentes com manutenções de rede elétrica realizadas por mão de obra não qualificada

  • 7 de agosto de 2019

Dentre os 891 acidentes registrados no ano passado, a maioria ocorreu durante obras e reparos realizados em casas e prédios, pelos próprios moradores sem conhecimento técnico

Segundo a Abradee, a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica, o Brasil contabilizou 891 vítimas de descargas elétricas em 2018, das quais 271 morreram. A maior parte das mortes ocorreu durante obras e manutenções prediais – em outras palavras, pequenos consertos em casa – que embora pareçam simples, conferem alto risco, principalmente se não forem executados por profissionais habilitados.

Nesta quarta (07/8), a Rede Globo divulgou reportagem, no telejornal “Bom Dia, Brasil”, sobre os riscos de se fazer qualquer tipo de manutenção predial por conta própria – uma vez que muitos brasileiros priorizam economizar deixando de contratar profissionais especializados, em detrimento da própria segurança.

Segundo Marcelo Puertas, Diretor de Alta Tensão/Enel da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica, a cultura do improviso deve ser combatida, de modo que os brasileiros se atentem para importância de contratarem um profissional, para que com mão de obra especializada de técnicos e técnicas em construção civil, edificações e eletrotécnica sejam evitados reveses e acidentes.

No mesmo dia, o Conselho Federal dos Técnicos Industriais promoveu o I Seminário de Fiscalização dos Conselhos de Técnicos Industriais, evento que recebeu os Conselhos Regionais em Brasília com o objetivo de apresentar novas diretrizes de fiscalização, mediante as especificidades de cada região do Brasil.

Na ocasião, debateu-se também a disseminação de informação, por meio de ações educativas que pontuem a contratação de serviços prestados por técnicos e técnicas industriais – além do objetivo de coibir o exercício ilegal da profissão.

Enquanto órgão de fiscalização, o CFT, cuja criação se deu pela Lei nº 13.639 de 2018, tem promovido treinamentos, seminários e adesão a sistemas de informatização de ponta. Dessa forma, o Conselho corrobora para a ampliação da atuação dos técnicos e técnicas registrados e devidamente certificados – e com a segurança da sociedade, que obtém a garantia de contratar serviços qualificados.

Assista a reportagem aqui

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Últimas notícias

CFT promove seu primeiro seminário de fiscalização para os Conselhos Regionais de todo o Brasil

O Conselho recebeu colaboradores do Sistema CFT/CRTs de várias regiões do país para debater diretrizes e metodologias de fiscalização O CFT realizou entre 7 e…
Ler mais...

40 anos da fundação da ATESP, entidade que deu início ao movimento dos técnicos pela regulamentação profissional e criação do Conselho

A Associação Profissional dos Técnicos Industriais do Estado de São Paulo, criada em 18 de Agosto de 1979, reivindicava, principalmente, maior representatividade para os técnicos…
Ler mais...

CFT adota a Lei de simplificação e vincula número do Cadastro de Pessoas Físicas ao documento de registro profissional

Decreto Federal atribui ao CPF o caráter de documento substitutivo a outros documentos e CFT adota a alteração no registro dos técnicos O Decreto Federal…
Ler mais...